quarta-feira, 26 de julho de 2017

Texas, onde tudo é grande.

Faz exatamente um ano que eu cheguei no Texas.

A vida tem dessas, tudo na minha vida deu errado, nada fazia sentido, e de repente tudo mudou. Eu vim para um estado onde eu sempre brincava que eu me mudaria, mas no fundo eu sabia que eu nunca iria porque Texas é um dos lugares mais quentes dos Estados Unidos no verão.
E olha como o mundo da voltas não é mesmo? Aqui eu vivi de longe o melhor ano da minha vida, onde parece que finalmente meus planetas e estrelas começaram a se alinhar e tudo deu certo, tudo fez sentido e tudo se conectou. Aqui eu cheguei ao ápice da alegria/felicidade, alcancei e fiz coisas que eu nunca imaginaria fazer. Conheci pessoas que eu nunca me imaginaria conversando e experimentei uma nova vida, nasci de novo.

Mudar para um novo país é nascer de novo, conhecer novas pessoas, aprender a falar uma nova língua, andar sozinho e ser independente. Aprender novos costumer, experimentas novas comidas, é descobrir que o mundo é muito maior que a gente imagina, é aprender todo dia uma coisa nova. É enfrentar novos desafios e criar novas barreiras, é crescer sem aumentar um centímetro (de altura pelo menos), é rir e chorar de saudade, é aprender a agradecer, confiar, sentir e sonhar. 

Não é fácil morar longe da sua família, mas de alguma forma parece certo, parece que eu essa vida é a que me pertence, criar novas raizes e novas famílias. É difícil explicar como eu me sinto e como eu me senti completa nesses últimos doze meses. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário