segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

2016

2016 para muitas pessoas foi um ano difícil, 2016 para mim foi o melhor ano que já vivi.

Eu decidi em Janeiro de 2016 que aquele finalmente seria meu ano, eu decidi que eu seria egoísta, eu decidi que eu viveria cada minuto e aproveitaria tudo. Fiz coisas que nunca faria e não me arrependi, eu não pensei duas vezes antes de fazer muitas coisas e fui mais cuidadosa, comigo principalmente.

O ano de 2016 se resume em "eu". Eu não deixei que ninguém se aproveitasse de mim, não deixei que nada me abalasse e segui em frente até viver e encontrar finalmente a felicidade plena.

Em 2016 eu fiz amizades, eu conheci muitas pessoas e tirei outras, em 2016 eu fechei os olhos nos dias difíceis e sorri, eu acreditei e rezei.

Eu descobri que infelizmente ainda não posso cuidar e deixar todos felizes, mas eu posso cuidar da minha vida e seguir de lá. Eu sempre quis fazer diferença no mundo e na vida dos outros, mas não temos o poder de fazer isso sozinha, então comecei comigo mesma.

Em 2016 eu tive paciência, determinação, paixão, amor, paz, felicidade e força de vontade me acompanhando e espero seguir assim.

O ano só poderia concluir melhor que o ano, meus pais vieram me visitar e a família que eu morei por um ano em Maryland veio para o Texas. Foi difícil ver a bebê que eu cuidava correr de um lado para outro e não me reconhecer. Eu passei um ano cuidando de uma bebê que ficava quase 10 horas comigo grudada comigo, foi sim muito difícil.

Dia 31 de Dezembro quando fui me despedir dessa menina que vai completar 4 anos dando tchau, ela veio correndo e me abraçou e ficamos assim por quase dois minutos, meu mundo parou ali, eu não queria largá-la, toda atenção que eu quis que ela tivesse me dado eu senti naquele abraço. Crianças não ficam abraçadas por muito tempo, mas ela me abraçou forte e quando eu disse que a amava e sentia falta dela, mesmo sem esperar nada de volta ela respondeu que ela também.

Naquele momento eu fiquei pasma, e não importa o que possam dizer, naquele momento ela lembrava de mim, e ali eu já poderia terminar meu ano porque eu não precisava de mais nada.


Nenhum comentário:

Postar um comentário