terça-feira, 2 de agosto de 2016

O mundo não gira ao nosso redor.

Uma coisa que eu percebi e a cada dia estou lidando melhor com isso.

Desde a primeira vez que fui morar fora eu demorei muito para entender. Quando nós mudamos de vida, de cidade ou de país nós iremos sentir falta dos amigos e familiares, nós convivíamos todos os dias e de repente você está sozinho(a) em um lugar novo onde tudo é novidade.

Eu estava animada com tudo, não queria perder um minuto dessa vida nova, e isso as vezes fazia com que as pessoas me cobrassem por novidade. E a dura verdade é, quando você vive esse tipo de experiência, você não lembra da sua vida passada, você esquece temporariamente que todos ficaram para trás, e você não manda mensagem toda hora e eles sentem falta disso, eles querem saber como você está.

Por outro lado, na sua cabeça lá no fundo, a única pessoa que está vivendo é você, para você quem ficou o tempo parou e só vai voltar quando você estiver de volta; e isso, é muito errado. É maios ou menos isso que nosso inconsciente pensa, e você pensa que aquela pessoa que não mandou mensagem te esqueceu ou não gosta de você, mas na verdade ela está apenas vivendo.

Um exemplo: Antes de ir, eu estava muito próxima de uma amiga que conheci na Universidade, próxima demais, falávamos todos os dias, fazíamos um milhão de coisas juntas. Quando fui embora ela continuou mandando mensagem, me ligando e me mandando carta. Só que depois de um tempo isso foi diminuindo cada vez mais, até chegar ao ponto de não receber nem mais uma mensagem. Eu voltei ao Brasil, morei quase dois anos, eu a vi uma vez logo quando cheguei e troquei poucas mensagens com ela.

Demorei muito para entender o porque ela se afastou, ela continuou vivendo, ela se apaixonou, passou por algumas mudanças drásticas em sua vida e hoje é quase casada e tem uma "filha". Ela tem uma vida totalmente diferente da que tínhamos três anos atrás, as prioridades dela mudaram, assim como a minha. E eu não via isso.

Quando mudei da primeira família que morei nos EUA, eu mandava mensagem a cada três dias, eu queria fotos, mensagens e notícias das crianças. Eu sentia falta porque morei um ano vendo-os todos os dias, é normal esse "desespero"por notícias, mas em nenhum momento eu lembrei de toda a reviravolta que aquela família teve, que antes era uma família ocupada, depois de tudo então...
Antes eu tinha notícias porque eu morava lá, eu que fui embora e eles continuaram com a vida deles.

O mundo não roda em volta de nós, se por acaso você decidiu trocar o ciclo ou mudar de vida, as outras pessoas não são obrigadas a irem atrás de você, muitas vezes elas estão esperando que você vá atrás delas.

Me desculpa se você já pensa assim, se isso parece obvio, mas para mim não foi tão fácil. Hoje eu quase não converso com aquela amiga, mas isso faz parte da vida. O tempo não para, sua vida não para e os outros também não.


Um comentário:

  1. Aly, me vejo muito em você, assim como você eu tinha/tenho muita dificuldade de aceitar esse tipo de mudança, não conseguia entender como pessoas tão próximas se "afastaram-se", mas depois eu fui percebendo que nem eu nem as pessoas tinham culpa ou tínhamos feito isso proposito. Nossas vidas tinham apenas tomado rumos diferentes, mas quando falo com essas pessoas percebo que o carinho ,a afinidade que sentimos umas pelas outras continua a mesma de quando nós nos falávamos periodicamente.

    ResponderExcluir