domingo, 20 de março de 2016

Minha Primeira Vez

Para muitos que me conhecem sabe que eu não sou de sair muito, de ir em baladas e festas. Porém desde que eu voltei dos Estados Unidos, algo mudou,  continuo a mesma, mas eu aproveito mais meu tempo livre, saio mais e vou a locais que antes não conhecia, ou se quer tinha vontade.

Dentro das poucas vezes em que fui a uma balada, nenhuma delas me fez curtir, ou realmente gostar, no último fui a uma comemorar o aniversário de uma amiga e continuei com a mesma opinião de sempre. Passei de três a quatro horas lá, sem conhecer uma música, ainda não sei o que tocou aquela noite até agora.

Foi ai que uma amiga me convidou para ir em uma balada gay na Augusta, essa sexta,  eu disse que ia, e essa seria a última vez que tentaria gostar de uma balada. Antes que você ou qualquer pessoa fique questionando, já haviam me falado que baladas friendly são para mulheres, muito mais legal que qualquer balada.

Então eu fui, essa foi minha primeira vez na Augusta pra valer, e minha primeira vez em uma balada gay.

Eu tenho que confessar que eu amo dançar, mas por conta da minha baixa alto estima eu sinto vergonha em dançar em público, por conta do público que eu to acostumada a ir em baladas eu ficava sempre na minha, e foi  nessa sexta que eu dancei até dizer chega, dancei até músicas que se perguntarem eu vou negar até a morte,  e eu amei.

Apesar de minha amiga dizer que aquela foi uma noite incomum, a balada estava um pouco vazia, fomos os primeiros a chegar e um dos últimos a sair. O que me fez gostar de lá não foi apenas as músicas, eu como a louca de observação tirei várias conclusões apenas observando.

Ali não havia apenas pessoas homossexuais, haviam heteros, transexuais e Drag Queens. E essa foi mais uma primeira vez para mim, nunca havia se quer conhecido uma antes, e queridos, elas são fabulosas!

Em parte eu me senti muito confortável e feliz em estar em um lugar onde ninguém ali está te julgando, todo mundo está ali apenas para se divertir e ser livre. Ainda sim eu sei que muitos ali, estavam vivendo seus raros momentos de liberdade e felicidade em sua semana. Eu conheço e sei que muitos ali não podem ou temem serem quem eles realmente são.  Se não é o preconceito, é o medo, é a proibição, é a negação que os impedem de ser 100% do tempo quem eles queria ser. Isso é tão errado, e mesmo assim tão comum.

O importante é que a noite, ali no meio da pista de dança estavam todos felizes e curtindo.

Mas como tudo na vida, nós sempre temos que aprender alguma coisa de todas as nossas experiências e eu vou te alertar de algumas delas:

1. Não encontre/tenha nenhum crush em uma balada gay, a probabilidade de você encontrá-lo com uma outra pessoa do mesmo sexo é bem grande.

2. Se você gosta de Pop, é garantido que terá músicas o suficiente para você dançar.

3. Só dance funk se você gosta muito.

4. No funk as coisas podem ficar bem ousadas.

5. Não vá se você tem preconceito, porque lá não é lugar para isso.

6. Não perca seu tempo pensando naquela pessoa.

7. A Augusta é incrível, tem lugares e restaurantes interessantíssimos

8.  Você precisa voltar

Bom, por hoje é só, desculpa se te decepcionei com o tema, eu precisava fugir um pouco dos assuntos mais comuns aqui!






Nenhum comentário:

Postar um comentário