sábado, 21 de novembro de 2015

Que mundo é esse?

Eu acho que já fiz esse comentário, mas vou repetir.

Eu odeio ter crescido em uma sociedade em que me fez acreditar em que eu só seria bonita se eu for magra, e essa foi a razão para eu nunca, ter uma boa auto-estima. Nunca fui magra o suficiente para me aceitar, para me olhar no espelho e pensar: sou bonita, nunca cheguei ao ponto de olhar meu reflexo e não querer mudar pelo menos seis coisas em mim.
É horrível você estar apaixonada e ter na cabeça que isso nunca vai acontecer, porque até onde você sabe sobre você mesma, você só tem defeito atrás de defeito, e eu odeio me sentir assim, mas simplesmente não consigo mudar.

Uma das coisas que eu amo no meu corpo, é meu cabelo, o que pode ser considerado fútil demais, porém dentro do meu mundo onde tudo em mim está errado, o único certo é sim meu cabelo. E eu recentemente tive uma experiência traumatizante onde simplesmente estragaram meu cabelo e gastei muito para tentar deixa-lo o mais perto do que eu queria. Mesmo assim, decidi que eu tinha que alisar meu cabelo porque ele estava feio demais.

Feio, quem foi a pessoa que decidiu o que é bonito ou feio?

Por que julgamos as coisas entre bonitos e feios?

Por que existem pessoas que chamamos de feias? Por quê? Desde quando foi decidido que alguém não tem "beleza" o suficiente para ser chamado de feio(a)? O que é beleza? De onde tiramos que uma pessoa que não é magra não é bonita? Por que a palavra "gordo(a)" existe, quem decidiu que ter um corpo mais afinado é o certo? Quem colocou um nome á aqueles que não são iguais? Por que uma pessoa que é maior do que o padrão (mesmo não querendo acreditar que a sociedade chegou a criar um), é chamada de nojenta?

"Ai, aquela pessoa é gorda e feia"

Não, aquela pessoa é ela mesma, não importa o peso dela, a aparência nem suas roupas.

As pessoas devem para de julgar as outras e dar "nomes" as suas diferenças.  As pessoas devem parar de separar as outras, as pessoas devem parar de reparar nas outras, parar de olhar as outras e olhar a si mesmas.

Eu não vou ser hipócrita em dizer que nunca julguei as pessoas a primeira vista, mas a um tempo eu parei com isso, eu vi que isso só me fazia sentir pior, porque no final, eu quebrava a cara. Se eu julgava um, três me julgavam por trás, eu cresci em uma escola em que me julgaram até eu cansar de tudo e por que eu devo ser uma delas?

Eu julgo aquele que não tem um coração puro, aquele que não vive a vida de maneira honesta seja lá o que for, eu julgo a mim mesma por me misturar a elas.

O Brasil está um horror, o mundo está um caos, e infelizmente eu não posso fazer nada para corrigir, mas eu pelo menos comecei mudando a mim mesma.

Eu torço para o fim dos julgamentos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário