quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Desabafo

Antes de eu ir morar nos Estados Unidos eu acreditava que eu não pertencia ao Brasil, encontrei um texto quando eu estava em uma pré-depressão e lá eu falo no mínimo umas três vezes que eu não me sentia bem aqui, não considerava aqui o meu lar, e quando eu fui morar lá eu tinha certeza que no final iria me arrepender do que falei, afinal, nada como a sua casa.

Nos meus últimos dois meses lá eu cheguei ao ponto de querer voltar do que ficar lá mais oito meses, e acredite, muitas meninas que faziam o mesmo que eu chegam a esse ponto, ao ponto de não aguentar mais. Hoje eu penso, como eu consegui desistir de lá?

Me lembro de ficar morrendo de ódio quando alguém me falava: ah mas sua vida é perfeita. ah cuidar de bebê/criança é tão fácil e gostoso. Meu sangue fervia mais ainda quando falam: ah então se você não gosta de crianças por que foi?
Vou reponder pela ultima vez, não é questão de gostar, você sabe que cuidar de bebê/criança é lindo maravilhoso mas não quando você cuida na média 10hrs/dia cinco vezes por semana, quando você mora com seus chefes, não está perto dos seus familiares, quando voce não está bem, quando está sozinho(a) vivendo sobre regras e casa de pessoas estranhas.

Hoje eu tenho a certeza que morar aqui é perda de tempo, não me leve a mal, respeite minha opinião, você nunca vai saber o quão fácil e bom é morar em um lugar onde você não tem medo de andar na rua ou até mesmo de ficar na sua casa de praia, um lugar onde você pode deixar as portas abertas, sua bicicleta na rua ou perder o celular e saber que não vão roubar.
Obviamente tem gente que não se adapta a morar nos Estados Unidos mas eu te garanto que não é insatisfação como o meio de vida. E olha que a minha lista é enorme nem comecei a mencionar mais as diferenças, nem precisa ser só nos EUA, em qualquer país de segundo mundo.

Algumas meninas que foram Au Pairs como eu sentiram antes que eu e ficaram, sorte a delas, eu agora preciso lutar para voltar, porque aqui não dá mais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário