segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Uma pequena grande mudança

Boa Noite queridos leitores,

Sei que dessa vez terei mais leitores porque esqueci e também nm quis contar aqui que desde dezembro de 2012 decidi que queria fazer um intercambio, e vocês já sabem como sou..... vou atrás até conseguir.

Enfim, o caso é, dia 27 de maio eu descobri que em agosto estaria indo me mudar por pelo menos um ano para Maryland,  em um subúrbio de Washington DC, acho melhor começar explicando direitinho tudo.


Não preciso dizer que queria fazer um intercambio, então fui pesquisar, principalmente depois de um momento em que deixei de gostar e me sentir bem no meu antigo trabalho. Vinte e cinco mil.... trinta e cinco mil, esse é o preço médio de um  intercambio, e é claro que fui embora me sentindo derrotada com aqueles papéis, confesso que em parte a culpa era minha pois eu não queria um intercambio de um mês ou dois, queria um de mais de seis meses.

De qualquer modo eu sabia que havia uma opção, só não sabia se eu seria capaz de encara-lo, bom eu imaginei que não até chegar ao ponto de me sentir sufocada por continuar no meu trabalho e ter vontade de chorar todo dia. No final de dezembro visitei cerca de três empresas de intercambio e fiquei meio chocada com o preço dessa opção tão "arriscada". Quando passei o Natal e Ano novo com a minha prima, conversei muito com ela e pedi para que ela fosse honesta comigo e ela disse: Você consegue.

No final de  Janeiro fechei um pacote para ser AuPair, onde a partir do momento que eu fechasse com uma família eu viveria um ano nos EUA como babá, chega a ser ridículo o preço e as vantagens que acompanham esse programa.

Vamos dizer que para eu finalizar meu processo eu tinha que tirar a carta de motorista, fácil né? Claro que não, nada é tão fácil assim. Foram quase cinco meses angustiantes e loucos. Acho que a maior parte do tempo senti medo. Medo de ficar, medo de não conseguir, medo de levar um não, medo de me animar e não gostar, medo de tudo e todos. Não tem como não se sentir sensível esse tempo todo, acho que não teve um momento que não fiquei preocupada e não fui dormindo pensando em o que poderia acontecer.

Não vou dar detalhes sobre a Família  pois além de não ser autorizada já é de costume eu não abrir muitas informações. Eu não sabia que o estado de Maryland existia até eu fechar com essa família. Vocês tem que pensar que isso é como um emprego, então o meu currículo tem que ser consideravelmente "Bom" para que alguém queira entrar em contato. De qualquer forma, você é um estranho que vai morar na casa de estranhos para cuidar dos filhos deles por um ano, é uma combinação que precisa ser perfeita para os dois lados, tanto para mim quanto para eles. Você não pode escolher qualquer um, mesmo se eu fiz isso, foi porque desde que vi o perfil deles e recebi o Email deles eu chorei de felicidade porque sabia que era eles a família, agora pouco soube que eles sentiram o mesmo com meu perfil, então foi mesmo o matching perfeito.


Então esse foi o começo, pedi demissão, entrei em uma "férias" e tive o meu tempo de descansar e me preparar para me despedir de tudo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário