quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Choque de Realidade

Primeiro dia de aula.

Segunda feira, e depois de mais de um mês acordando tarde, volto a trabalhar acordando cedo, a única diferença é que demoro trinta segundos do meu quarto ao local em que trabalho.

Para minha tristeza Lucca não usa uniforme para ir para escola, comemos no café da manhã uma bolinha de panqueca deliciosa, que eu amo. Enfim, seguimos juntos com os vizinhos apé para escola, nossa vocês tem que ver a energia que essas crianças tem, correm o caminho todo para escola que deve ser uns vinte minutos andando, tenho que confessar que sou uma criança, porque a cada lugar novo chego até dar pulinhos de alegria, tudo aqui é como nos filmes.

Como era primeiro dia de escola nós poderíamos acompanhar as crianças para dentro da sala, advinha se eu não fiquei na sala admirando tudo e tive que ser chamada para sair porque a aula ia começar e os host tinham que ir. Achei engraçado as crianças que estudam lá, algumas crianças de mini saltinhos e roupas brilhantes, todo tipo de criança e sorriso ou caretas. As roupas então algumas pelo colorido e roupas esquisitas acho que os pais deixam elas escolherem as roupas... quer dizer, eu acho né, e espero também. De qualquer modo criança é criança e eles são felizes sempre, quase sempre.

Aqui na cidade não tem shoppings, existem áreas de comércio que você vai para comprar algo e vai embora porque não há nada a mais que essas certas lojas. Apesar de ser afastada e ser interior você encontra de tudo, tudo em tamanho gigante e preços baixos ao ponto de fazer você se revoltar. Hoje quase liguei para minha mãe perguntando se ela não quer que eu faça as compras do mês aqui e mande para ela por correio porque olha.... Comprei chinelos porque esqueci os meus em São Paulo, por dois dólares, não são Havaianas mas são muito confortáveis.

Outra coisa que me deixa de queixo caído é de como tudo aqui funciona, as pessoas são educadas, o transito aqui é indescritível, você não vê pessoas estressadas ou apressadas, tudo aqui é muito calmo, muito limpo. A e não posso esquecer de prático... tudo muito prático.

Acho que o único problema aqui da América do Norte é que aqui tudo, quase tudo já está pronto, ainda não decidi se é melhor ou não, ele é mais prático porém as comidas feitas tudo do jeito que fazemos no Brasil "a mão" e não industrializado te deixa com sabor de "maquina" na boca. Brincadeira, mas da para sentir uma forte diferença.

Cuidar da baby está sendo fácil até certo ponto, ela gosta de mim e está se acostumando comigo, porém ela ainda não ta acostumada a tomar leite que não é da mãe dela, e também não to conseguindo fazer ela dormir, acho que quando for a hora dela tirar uma soneca vou levar ela no carrinho, porque é o único jeito. Apesar disso está tudo ótimo, tenho dó de bebês a vida deles é tão entediante.  Não vejo a hora dela começar a engatinhar.

Para manter minha cabeça ocupada, estou vendo de fazer uma academia que fica perto daqui, não quero pensar na palavra que começa com Sau e termina com dade.

Eu sou muito bem tratada aqui, não tenho o que reclamar, e adoro aqui, mas só porque estou tendo um grande momento que não quer dizer que não tenho um choque de realidade, que não posso deixar de sentir saudade das pessoas, claro que posso. Muitas vezes eu choro lendo cartas porque o que mais desejei foi que as pessoas torcessem por mim e meus sonhos e quando me dou conta de que meu sonho está realizando e vejo todos que torceram por mim até quem eu não esperava, me emociona muito, de verdade. Enfim, to dizendo isso porque criei uma frase ontem enquanto escrevia uma carta e chorei de saudades, quem nunca? Postei no facebook e teve gente que disse para eu parar de reclamar. Não estou reclamando e de qualquer formo o momento foi de cinco minutos depois passou, a maioria das frases que crio são reflexivas eu penso em várias situações e posto, muitas vezes nem estou sentindo no momento, como aquela frase que acabei postando horas depois porque gostei, apenas isso.

Sendo assim concluo que...  "Você chora de saudade até mesmo no paraíso." - Garbo, Ronnie - 27/08/13

Nenhum comentário:

Postar um comentário