sábado, 12 de janeiro de 2013

Overdose do passado

Primeiramente, queria deixar claro que esse passado não é tão distante assim.... quatro/cinco anos para ser mais exata.

Hoje depois de uma manhã bem agitada decidi ter uma tarde bem nostálgica, vamos dizer que se pudesse morrer de nostalgia eu teria morrido, ou teria morrido quando quase explodi meu apartamento hoje, mas essa história a gente deixa de contar.
A questão é, faz um tempo de que notei que eu perdi uma das pessoa que foi uma das mais importantes na minha vida, grande parte de quem sou, foi graças a ela.  Dói até falar esse tipo de coisa e ainda não conseguir acreditar que essa pessoa não existe mais, ou simplesmente não existiu.

Está certo que com o passar do tempo as pessoas mudam, mas essa especialmente está completamente irreconhecível, passei a tarde vendo Dvds e me segurando para não chorar, toda perda é dura e difícil de ser aceitada, essa principalmente é complicada de aceitar, porque a pessoa ainda existe, ela ainda está viva, mas a esperança de ela voltar a ser a razão dos meus sorrisos se foi.

A considerava meu chão e quando de repente ela colocou ou tirou essa máscara e se tornou quem é hoje, tive que aprendi a arranjar novos equilíbrios e chão, posso dizer que esse é o único lado bom disso foi saber aprender a andar com meus próprios pés e aprender a cuidar um pouco de mim. Eu simplesmente percebi que os sonhos dela já foram realizados ela está apenas vivendo o que restou ou resultado de tudo e os meus estavam muito longe de acontecer, tava mas que na hora de ser a minha vez.

Como sempre eu vou sentir saudade, na verdade sinto já bastante e não vou me incomodar em ficar presa em uma pessoa que não existe mais, vou viver minha vida, porém não vou esquecer quem foi e o que ela significou para mim.

Nomes não são necessários serem citados, se me conhecem muito bem, saberão de quem estou falando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário