sexta-feira, 18 de novembro de 2011

O silêncio da sorte

From Evernote:

O silêncio da sorte

Vai ser estranho escrever aqui depois dois dois últimos textos que eu postei, naquela epoca eu estava um pouco inspirada, não sei que deu em mim, só sie que estava com um vício interminável para escrever, pois o vício infelizmente teve fim e agora esse vai ser um texto humilhante (no sentido de podre me comparação ao outro é claro!)

Bem, acho que já me conhecem o suficiente para saberem que eu adoro (enfase bem forte no adorar) a falar, eu tenho uma vontade incontável de falar, e ontem finalmente descobri uma desvantagem em ser independente e andar sozinha pelas ruas e ônibus. Até agora eu amava, sempre que tinha que ir semanalmente ver minha psicologa eu ia toda feliz com meu fone de ouvido (não do iphone porque meu pai querido resolveu tirar de mim depois que aprontei uma coisa hihi, ou melhor ia aprontar mas ele descobriu antes e...) enfim, só faltava eu saltitar pelas ruas e que até confesso que já fiz isso mesmo, as músicas me contagiam o que eu posso fazer?
Enfim, andar sozinha não me incomodava nem um pouco até ontem, como não posso cantar em lugares públicos para não ser linchada ou assustar as pessoas eu fico calada, e ontem quando sai do primeiro ônibus do dia, eu fiquei estressada e não entendi o porque, quando sai do segundo eu quase disse um "obrigada" ou "tchau" ao cobrador, só que não disse, porque com certeza ele me acharia uma estranha, porque não é normal fazer isso, e comecei a andar e me desesperar porque percebi que não tinha com que falar, o que foi me deixando angustiada.Só não fiquei antes porque estava lendo uma história enquanto andava pelas ruas e reprimiu minha solidão um pouco.

Apesar disso, minha hora na terapia logo chegou (cuidado comigo! hahaha) e pude falar a vontade durante uma hora, e satisfiz minha abstinência de falar, e segui para o meu segundo objetivo do dia. Vou contar uma coisa, eu sou a pessoa mais sem sorte do mundo, não sou azarada, mas só não tenho sorte. 

Tudo começou assim....
Por motivos óbvios eu sou apaixonada pela Adele, não só sua maravilhosa voz, mas as músicas delas me ganharam como amor a primeira "ouvida", e semana passada ela postou em seu facebook que haveria um pré-lançamento do seu DVD onde iria passar em uma seção única em apenas algumas cidades do mundo e por incrível que pareça o shopping mais desconhecido e do lado da minha casa,  quase do lado. Imagina meu estado, eu pirei, só que para meu azar tinha que ser sorteada e como era um evento fechado não podia ser vendido. E adivinhem eu não ganhei, recebi um email quase cinco dias depois dizendo que não fui sorteada, isso porque ainda coloquei o nome da minha irmã que também não ganhou, no final do email estava escrito que mesmo assim eles dariam alguns ingressos, eu até reli umas três vezes para ver se não entendi errado (tava em inglês) e era aquilo mesmo.
Cheguei no shopping as 17:00 e fui esperar até as 20:00 para entrar fiquei duas horas vendo os maiores livros da livraria (mais horas sem falar com ninguém) e obriguei minha irmã passar umas horas comigo. Quando cheguei no cinema estava preocupada em não entrar, mas no final a sala tinha capacidade de 246 pessoas e eu era a segunda da fila, e enquanto esperava fiz uma amizade com um pessoal divertido e acreditem, não parei de falar até quando o filme já havia começado (nem gritei no filme não! hahaha).
Enquanto ficava na fila com eles e andava pela fila para ver se a maioria deles tinha ingresso me lembrei de quando foi o show da Miley, aquele dia vocês nem queiram saber o quanto eu falei, não queiram, eu andava por toda a extensa fila a manhã inteira conversando com as pessoas, uma sem noção mesm, mas foi bom relembrar.

E enfim terminei meu dia morta de cansaço em casa, hoje estou me preparando psicologicamente para ir a uma festa de 15 e ficar de salto por horas em uma festa que é de tirar o folego.

Me desejem sorte.

ronnie Garbo

Nenhum comentário:

Postar um comentário