terça-feira, 20 de novembro de 2018

Thanksgiving


Essa semana é comemorado o Thanksgiving aqui, apesar do Brasil já ter comemorações e festividades demais, eu acho que essa tradição deveria ser adicionada por todos. Não precisamos de um jantar para celebrar. Esse dia é dedicado a gratidão. Eu tenho uma lista infinita de coisas a agradecer e ser agradecida.

Eu pratico a gratidão todo dia, ou pelo menos tento. Há muito tempo tenho praticado a rotina de dar mais atenção as pessoas que eu amo, a ouvir mais e constantemente lembrá-los o quanto são importantes para mim.
Nós criticamos com facilidade mas por que fazer um elogio, que é uma coisa tão linda, é raro? Eu nem sempre uso palavras para mostrar o quanto me importo com as pessoas, as vezes um simples “como você está hoje” já é o suficiente. Estar lá mesmo quando você não está fisicamente. Um eu te amo, te adoro e obrigada por ser você pode mudar o dia de alguém. Comecei também a falar da personalidade e pequenos detalhes e dizer o quanto cada pessoa é linda, brilhante. Talvez aquela pessoa não sinta isso todo dia, mas no dia que ela ouvir alguém falando, ela vai ficar feliz, nem que seja momentaneamente.

Mas tudo isso sou eu, eu gosto dar atenção e fazer as pessoas felizes, eu gosto de ver as pessoas sorrirem. Enquanto estava estudando eu recebi um e-mail, um e-mail daqueles que normalmente quando a gente vê que não é importante, a gente ignora. Esse e-mail era da Instituição que eu faço trabalho voluntário, eles estavam contando histórias de alguns voluntários e como o que nós fazemos muda nossa vida. No final daquele e-mail eles agradeceram a nós, voluntários, pelo o que nós fazemos. Naquele momento eu me surpreendi porque eu vivo nesse pensamento que sou agradecida pelas coisas e pessoas em minha vida, mas esqueci que em algum lugar, existe alguém ou quem sabem muitos alguém que é agradecido por me ter em suas vidas. E isso é incrível.

Então hoje, amanhã, qualquer dia, ou todo dia, faça um flashback das pequenas coisas que aconteceram na sua vida e agradeça. Mesmo que hoje você não esteja vivendo na melhor vida, esteja passando por uma situação difícil, esqueça por um motivo aquilo que não te trás felicidade. Seja grato pelo o que você tem, pelas pessoas que estão em sua volta e grato por ter uma vida. Você vai ver que no final será grato só por ter essa experiência.

segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Hopeless

Eu acho que vou precisar de anos para me re-estruturar. Essas eleições foram desgastantes em diversas maneiras. Emocionalmente e fisicamente. Há muito tempo eu não me sinto tão desorientada e frágil.  Eu não gosto de pedir ajuda e sinceramente muitas vezes não quero ser ajudada. Porque tem certas coisas que não acho que tem solução.
É engraçado eu escrever tudo isso porque minha vida está dividida em duas partes. Minha vida profissional, a que eu tanto prezo está indo incrivelmente bem. Em yoga em muitas posições para manter o equilíbrio e estabilidade você tem que focar em uma coisa. Tem que ter uma concentração excelente em um ponto e não se distrair. E isso é exatamente o que fiz minha vida inteira com minha vida profissional, eu foquei 100% nela. Eu desisti e sacrifiquei algumas coisas porque eu já olhava para frente onde eu queria estar.
Só esse ano eu ganhei 3 prêmios pelo meu trabalho, eu ganhei duas bolsas escolares, também por mérito ao meu trabalho. Esse ano também aumentei e fiz milagres com as minhas notas. Entre outras coisas. Nem estou contando os incríveis dias que vivi por simplesmente estar onde estou. Tudo isso graças ao meu foco em chegar aqui.

Um desses prêmios que eu ganhei, foi na mesma semana que eu eu conheci a Alicia Keys. Eu não consegui comemorar, ficar feliz, ou sentir orgulho, naA notícia veio em um sábado e no domingo eu estava aos prantos pelo resultado das eleições. Naquele mesmo domingo a minha própria mãe veio me falar coisas horrorosas que eu não sei o porque eu sou merecedora de ouvir essas coisas. Se eu contasse o que ela falou vocês questionariam o que eu fiz. Eu te adianto, tudo o que eu fiz foi não apoiar um candidato. Não apoiar alguém que vai contra todos os meus princípios e é contra tudo o que eu acho que é o mínimo que precisamos: amor.

Como eu disse, vai demorar para eu superar o que eu vi e ouvi. Aquele domingo eu achei que iria ser o fim de uma tortura que é ver pessoas que você ama te decepcionar. Na verdade foi o começo porque tudo piorou. Aqueles que disseram que com o fim das eleições, acabariam as brigas; eu vou te dar um spoiler de alguém que vive em um país que passa pela mesma situação: Não melhora, muito pelo contrário, as coisas pioraram.
Se não bastasse ter minha mãe falando coisas horríveis para mim, tive que saber da minha avó também falou, também me julgou e me desprezou.
E para falar a verdade, nada doeu mais que isso, nada dói mais.

E para completar eu ainda vivo em um karma. Eu já não sei mais o que fazer para parar de doer, parar de sentir, parar de sofrer. Eu cansei de amar, cansei de tentar esquecer, cansei de me preocupar. Chega a ser ridículo ter esse sentimento a tanto tempo. Chega a ser estúpido porque é fora de controle e desde o começo nunca quis. E ele não vai embora.

Eu só queria que essa dor passasse, apenas. 
E você querida amiga que sempre está por aqui, não se preocupe, eu ficarei bem 

quarta-feira, 24 de outubro de 2018

O que aconteceu hoje?

Minhas últimas matérias para o jornal foram sobre passeatas, protestos e movimentos políticos. Eu consegui uma entrevista com uma organizadora do Women's March, que é bem grande e conhecida aqui. Eu estava muito feliz por ter conseguido essa entrevista, achando que eu arrasei.
Ai semana passada na quita-feira eu descobri que uma atriz que eu gostava bastante iria vim para o meu College. Até ai tudo bem, eu estava bem animada porque eu gostava bem dela. No dia seguinte eu fico sabendo que a Alicia Keys estava vindo também.
A felicidade era enorme só de te-las no meu College, mas o que realmente aconteceu foi algo muito além. No sábado eu recebi uma ligação da minha coordenadora dizendo que eu tinha conseguido a entrevista que eu tinha solicitado com a atriz America Ferrera e obviamente com a Alicia Keys.
Eu tinha muita coisa para me preocupar essas ultimas semanas, muita coisa a fazer, duas provas e tudo que conseguia pensar era que ia conhecer essas duas.
Sábado eu chorei feito um bebê pela oportunidade. Eu sei que eu falo que eu choro muito por aqui, eu realmente me emociono fácil, mas isso era diferente. Apesar que eu achei que ia ter uma entrevista com elas, só de conhecer e ter uma conversa assim de perto foi incrível.
Com essa experiencia toda eu vi como eu tenho muuuito o que aprender a lidar com meus sentimentos. Sábado minha amiga disse que estava com inveja de mim por ter conseguido a entrevista. Segunda, eu descobri que a entrevista não seria mais "minha" e que tinham dado para outra pessoa. Na segunda eu estava com inveja, com raiva e com ódio, além de triste né.

Eu esqueci que enquanto isso tinha um monte de gente que estaria muito feliz só de estar no meu lugar. Eu não ia deixar de conhecer a America e a Alicia, eu só não ia comandar a entrevista. É aquela ideia de que nunca estamos satisfeitos com nada. Eu provavelmente nunca terei outra oportunidade como essa e ao invés de estar feliz, eu me enchi de sentimentos ruins.

Isso também involve expectativas. Eu sempre falo para todo mundo que não devemos criar expectativas para nada. Porque se algo acontece, principalmente ruim, você fica decepcionado. Eu me permiti sentir decepcionada, até porque inicialmente eu pedi para ter a entrevista. Mas eu estava sendo egoísta porque tudo era para acontecer no estúdio de TV, e eu não sou boa e nem preparada para ser esse tipo de coisa, se fosse para escolherem, se eu fosse a pessoa escolhendo, eu não escolheria a mim mesma. Mas ok é difícil aceitar essas coisas.

Eu também contei para muita gente, o que eu não deveria ter feito, devia ter mantido essa informação só para mim.

Nada aconteceu como imaginávamos, quando chegamos lá, as responsáveis pela América (atriz) pediram para mudar tudo, eles queriam que fosse algo bem mais informal. Que fosse uma conversa mais pessoal para conhecer os outros alunos participantes.

Foi bom, outros alunos participaram e eu estou muito grata por isso ter acontecido.
América e a Alicia trouxeram Liza Koshy também para o evento e eu adorei tudo. Elas são muito fofas e a Alicia é um amor de pessoa 

sábado, 20 de outubro de 2018

Existe um vídeo em que eu estou apaixonada. Eu assisto pelo menos umas duas vezes por dia. Uma menininha  adorável de talvez uns três anos no colo do pai dela, dubla uma música do Maroon Five. O vídeo é uma graça a menina é uma fofura e eu morro de amores por esse vídeo.

Enfim, eu to falando isso porque tem uma coisa que eu acho lindo, amizade e amor entre pai e filha(o).  Muito se fala da conexão entre mãe e filha(o) mas pouco se repara na relação do pai e filhos. Eu acho tão lindo, mas tão lindo ver esses tipos de vídeo, ou fotos ou simplesmente na rua mesmo. Enquanto eu estava totalmente focada no meu celular, no meu mundinho ali, eu não olhei para quem estava em volta no ônibus, e eu vi um pai e uma filha sozinhos, conversando e rindo junto, achei tão lindo. Eu não sei porque mas eu acho que é uma das coisas mais lindas que eu vejo, um pai cuidando dos filhos.
Mães e filhos(as) é algo que acontece mais natural porque a mãe carrega o filho(a) por 9 meses na barriga, literalmente conectados. Para pais isso não acontece. E para filhos adotados também não, então ver essa conexão e atenção é tão lindo.

E eu acho muito legal a minha relação com o meu pai, sempre foi muito mais próxima que da minha mãe, e sempre nos entendemos bem. Eu fiquei eternamente surpresa com a minha viagem de carro com meu pai. Ficamos em média 20 horas juntos em um carro e não brigamos uma vez. <3 p="">
Eu não vejo a hora de daqui uns... dez anos quem sabe, estar com alguém que vai amar tanto meus filhos e ter essa conexão. Eu acho que vou morrer de amores.
Ps: é um fato que single dads me atraem muito, então se conhecer um... hahahaha brincadeira.


Só queria dividir isso.
Hoje meu dia foi incrível.
Hoje foi meu segundo aniversário, aquele que eu comemoro sozinha. Aquele me trás lembranças horríveis mas que me deu uma segunda chance para viver, literalmente.
<3 p="">

<3 p="">
<3 p="">    fotinha minha com meu papito em algum lugar no Nordeste

sábado, 29 de setembro de 2018

O conto de fadas de cada dia.

Okay, vamos a mais uma história.

Hoje o dia foi longo. Hoje não, ontem, porque já é mais de meia noite, de novo. Hoje terminamos o jornal já era quase onze e meia da noite. Obviamente não tinha mais opção de ônibus para mim, então fui pedir um über.
Nada além do normal. Quando eu olho a foto do motorista do über eu vejo que ele é novinho. Quando ele chega, eu comprimento como sempre. Normalmente de sexta-feira eu já não tenho tanto animo, principalmente depois das dez da noite, mas por algum motivo eu estava animada e continuei conversando com ele. O nome dele é Joe.
Joe era engraçado, interessante e tivemos uma conversa ótima, livre de negatividade. Por pelo menos um tempo eu esqueci de tudo que vem me irritando. Foi uma conversa absurdamente agradável. Joe faz teatro, trabalha bastante e gosta do mesmo tipo de músicas que eu. Ou seja, sai do carro já com vontade de ter pedido o telefone dele. Joe esperou eu entrar em casa para ir embora, eu não sei vocês mas eu já estava planejando nosso casamento.
Ok, nem tanto, mas brincadeira a parte eu fiquei triste porque eu nunca mais vou ver o Joe. Eu até tentei achar a peça que ele me falou mas não encontrei.

Eu to na dúvida se Joe é hétero, porque normalmente quando eu me conecto bem com alguém, principalmente que ouve musicas que eu ouço, normalmente não são. Se ele for, nós fomos meant to be, e se realmente fomos meant to be, eu vou encontrá-lo por ai de novo.

Antes de acharem que sou desesperada, não estou não. Só foi uma química bem legal. 

quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Atualização do brinco

Só queria compartilhar uma coisa.
O brinco que meu pai comprou, apesar de ser lindo, para ficar mais fácil e poupá-los de detalhes, vamos dizer que ele não se adaptou com minha orelha. Eu gosto muito dele, mas não rolou.
Voltei a usar o primeiro que comprei para substituir ele, e sinceramente apesar de parecido eu não estava satisfeita com ele.
Hoje eu resolvi fazer um investimento em mim. Eu estou fazendo em pouco em pouco alguns investimentos em mim mesma porque eu mereço. Estou tentando cuidar mais de mim e hoje eu fiz algo que não fazia a muito tempo, gastar comigo mesma, em coisas materiais.
Eu precisava comprar um tênis novo, então eu comprei dois (que podem ser de linhas antigas, mas eu não ligo) pelo preço de um. Só para explicar uma coisa, a última vez que comprei um par de tênis de marca foi em 2013 e eu não sei onde foi parar. Perdi recentemente. E não, eu também não sei como se perde um par de tênis. Além disso esse tênis é necessário porque ultimamente meu pé está doendo o calcanhar, eu acredito que seja porque eu anda muito, e com o sapato errado.
Além do tênis, eu fui na mesma loja que eu comprei o brinco original. Obviamente não tinha o mesmo lá. Essas lojas de "ponta de estoque" normalmente só tem um modelo de peça, seja de roupa, acessório e etc. Enquanto eu estava tentando decidir qual brinco queria, eu estava olhando a um anel. Ele piscava para mim. Estava brilhando a mais e quase gritando "me compre".

Eu precisava de um anel? Não exatamente, mas eu quis compra-lo por três motivos:
1. Ele não era caro, e eu a um tempo queria um bonito.
2. Eu merecia um anel bonito desses
3. Eu gosto de usa o anel no dedo anelar na mão direita. Eu gosto de usar anel nesse dedo porque ali eu tenho minha tatuagem favorita. Sim, é o dedo que colocamos anel de compromisso, e eu to fazendo um compromisso comigo mesma. Eu to cuidando mais de mim, vou me dedicar mais ainda e esse anel é para lembrar que dessa vez eu to 100% comprometida em cuidar de mim. Foco 100% em mim mesma e no meu bem estar.

Em minha opinião, como disse minha amiga, foram gastos concientes, não gastei horrores, não sou dessas e gastei em coisas que eu precisava.

Agora eu tenho que falar uma coisa, eu esqueço como um pequeno acessório pode ajudar a mudar sua alto estima. Já falei que a minha não é das melhores, mas foi só colocar o brinco maior que eu gosto, um anel que eu já me senti pelo menos 30% melhor comigo mesma. É uma sensação engraçada, eu fico da mesma forma quando finalmente tenho tempo de fazer as unhas, eu me senti cuidada.

Sobre o brinco... eu já entendi que eu nunca mais acharei o mesmo brinco, mas chega de procurar, vou encontrando outro e outro e outro, até achar o que eu ache perfeito. ;)



terça-feira, 11 de setembro de 2018

Não apague sua história

Esse final de semana foi complicado, foi vamos dizer, interessante.

A muito tempo eu não sentia tanta raiva quanto senti domingo. Já fazia um tempo que tinha várias coisas que me incomodavam, e tudo chegou ao ápice. Pessoas que eu não esperava me criticaram simplesmente porque eu pedi respeito. O tema é mais ou menos o mesmo do post sobre "me calar".

No caminho de volta para minha casa, no domingo de manhã uma senhora pediu ajuda para comprar o bilhete do ônibus dela, como eu nunca carrego dinheiro, eu pedi desculpas e falei que não tinha. Ai ela pergunta se eu poderia comprar algo para ela comer. Ela aparentemente não parecia alguém com muito dinheiro. Aceitei apesar de que estava com medo de perder meu ônibus, mas ok, mais uma vez eu segui meus instintos de ajudar quem precisa e fui. Chegando no local, a moça pediu uma comida que é meio cara e pediu uma bebida cara também. Eu fiquei meio ofendida, mas fazer o que?

Bom, sai da loja correndo com medo do meu ônibus ter passado e sinceramente porque eu estava ofendida. Ela havia pedido um café e um hotdog, que não me custariam dois dólares ou algo parecido. Mas custou quase cinco vezes o valor.

Na volta para casa eu segurei o choro, porque ok não vou morrer de fome por conta dela, não vou ficar sem grana, mas eu lembrei de todas as vezes que eu quis ser legal e as pessoas abusaram. Eu lembrei de todas as vezes que eu fiz coisas que não gostaria porque pediram para mim. Lembrei de todas as vezes que eu fui legal e só levei "tapas" de volta, ou quando precisei de alguém não sabia para quem pedir.

Eu nem gosto de pedir ajuda, mas as vezes eu só preciso que alguém perceba que eu não quero pedir mas eu preciso de ajuda. Eu lembrei das palavras que fui obrigada a ouvir sábado, lembrei das grosserias que ouvi ultimamente. E outras milhões de coisas que estava sentindo me fizeram desabar.

Porque eu estou falando tudo isso? Não sei, mas eu olhei para meu computador e vi que ele estava sujo com tinta. Quando eu faço artesanato eu uso muita tinta. Eu até limpei o que pude, mas em algumas partes eu deixei.

Já parou para pensar quantas vezes você já apagou algo do seu passado? Quantas vezes você deletou aquela imagem, aquele texto? Simplesmente porque estava com vergonha? Porque deveremos continuar apagando e deletando nossa própria história?

Cada cicatriz, marca, nem que seja uma mancha, as vezes tem tanta história por trás que da uma pena deixar para trás.

Me desculpe, eu perdi o fio da meada, eu esqueci como ia escrever esse texto, então vamos concluir por aqui e deixa-los tão confusos, como eu. :)